Depois de São Fidélis, SFI pode decretar emergência por seca

Clique na foto para ampliá-la

O município de São Francisco de Itabapoana (SFI) deverá ser o próximo a decretar estado de emergência por causa da seca que atinge as regiões Norte e Noroeste Fluminense. Desde janeiro, segundo o diretor de Departamento da Secretaria de Agricultura e Pesca, Junior Terra, mais de 700 cabeças de gado morreram por não ter o que comer e beber. Pelo menos 65% dos produtores rurais foram afetados.

A situação foi agravada por duas pragas que devastaram a pastagem. Segundo ele, as pragas, causadas por dois tipos de lagartas, comeram e mataram o pasto, impedindo que brotasse novamente. "Ainda estamos fechando o balanço, mas acredito que, se a estiagem continuar por mais tempo, esse número pode chegar a mil cabeças". Nesse período, a produção de leite no município caiu 40%. Algumas regiões já estariam enfrentando também falta d´água. 

Na opinião de Junior, a situação é grave e preocupante. "Pretendo me reunir na próxima semana com o prefeito (Pedrinho Cherene) e o secretário de Agricultura (Edmar Henriques) para saber que providências serão tomadas. Não descarto a possibilidade de o município decretar estado de emergência", afirmou ele, que também é presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de SFI. Segundo ele, essa seca está sendo pior do que a registrada em 1991. 

Outros municípios - A prefeitura de São Fidélis foi a primeira a decretar estado de emergência por meio do decreto 3.181 de 30 de setembro de 2014. A seca atingiu 80% da extensão rural do município, dizimando mais de 150 animais. A produção leiteira registrou queda de 40%.

Em Cardoso Moreira, o quadro não é diferente. De agosto a outubro deste ano, cerca de 300 cabeças de gado morreram. O prejuízo estimado é da ordem de R$ 40 mil para os produtores de médio porte. Está sendo considerada a pior seca dos últimos anos, segundo a Secretaria de Agricultura e Pesca.
Fonte: Jornal o Diario
 

Nenhum comentário