Chuva fraca não alivia estiagem

A chuva fraca dos últimos dois dias trouxe esperança para os produtores rurais da região, que sofrem com maior seca registrada em quase um século, mas nenhum resultado prático. A água absorvida pela terra ainda não é de longe suficiente para umedecer o lençol freático, muito menos irrigar as plantações e encher os açudes que alimentam o gado. Italva e São Francisco de Itabapoana estão preparando os documentos necessários para juntar os números do prejuízo e pedir a decretação de situação de emergência. Em São Francisco isso deve acontecer em uma semana e em Italva ainda antes disso.
São Fidélis já decretou situação de emergência desde o início do mês e agora anuncia um manifesto para “fortalecer” a ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal contra a transposição do rio Paraíba do Sul, proposta pelo governo de São Paulo. Ele será apresentado amanhã na reunião do Conselho Municipal de Meio Ambiente.
O subsecretário municipal de Defesa Civil de São Francisco de Itabapoana, Gemerias Nogueira Neto, reuniu-se terça-feira (21) de manhã com o secretário municipal de Agricultura, Edmar Henriques. “Estamos finalizando o trabalho de reunir o material e levar ao prefeito para que o decreto seja feito. A chuva desses dias foi tão pouca e a situação é tão séria que nem consideramos como relevante para reverter a situação. Tomara que continue chovendo, mas ainda assim vai levar muito tempo para tudo ser normalizado”, informou Geremias.
Apesar de o nível de chuvas em 2014, inclusive contando o verão, seja bem menor que no ano passado, a Prefeitura de Campos ainda não cogita decretar emergência.
Fonte: Folha da manha

Nenhum comentário