Família de jovem morto em Cardoso Moreira enfrenta via-crucis para sepultar o corpo


Familiares do jovem Luan Cunha Tavares, que morava na localidade de Vila Nova, região Norte de Campos, e que faria 24 anos nesta sexta-feira (16/04), mas foi assassinado  no dia 07 de novembro ano passado, na localidade de Santa Margarida, em Cardoso Moreira, atravessam uma verdadeira via crucis para sepultar o corpo do rapaz que há mais de cinco meses está no Instituto Médico Legal (IML) de Santo Antônio de Pádua. A tia de Luan falou ao Campos 24 Horas a respeito do caso. 

A família que já sofre com a tristeza do luto acumula outro drama: a luta para enterrar os restos mortais de Luan. Já fragilizada pela perda, quando mais precisa de ajuda, só encontra falta de respeito e as amarras da burocracia. O exame de DNA estava previsto para ficar pronto em dois meses, já se passaram cinco, e até hoje os parentes amargam a dolorosa angústia da espera para o sepultamento.

Tia de Luan, a dona de casa Núbia Silva Cunha , de 53 anos, denuncia a estranheza da burocracia. “Entrei em contato com a delegacia de Italva, um policial que me atendeu chamado Emílio disse, para minha surpresa, que recebeu do Rio um comunicado de que o material do DNA que havia sido para lá enviado não era o dele, mas apenas o de sua mãe. Já propomos comprar o material do nosso próprio bolso para ver se andava mais rápido, mas eles dizem que não pode ser desta forma”, contou. 

Luan saiu de sua casa em Vila Nova, no norte do município de Campos, num sábado (dia 07/11) por para ir a um forró na localidade de Palmares, na divisa de Campos com Cardoso Moreira. (leia mais abaixo)

Desaparecido por cerca de três semanas, seu corpo foi finalmente encontrado, quando no dia 27/11 policiais foram chamados até uma propriedade rural numa estrada que liga Palmares a São Joaquim, onde foi encontrado em estado de decomposição. Parentes de Luan estiveram no local e o reconheceram através das roupas. (leia mais abaixo)

Além do drama de não poder sepultar Luan, sua família ainda convive com a ausência de resposta da autoria do crime. “Ele era um menino trabalhador, tranquilo e educado. Não mexia com ninguém. Era usuário (de drogas), mas aqui em Vila Nova, meu senhor, quase toda essa garotada faz uso. Infelizmente virou uma coisa quase normal”, admite. 

O resultado das imagens de cinco câmeras que haviam no local pode ajudar a desvendar os autores do homicídio. "Um fazendeiro da localidade instalou as câmeras por causa de roubos de gado no local, mas ainda estamos aguardando também para saber que fez esta covardia com ele". 

Núbia disse que, como sua família não tem recursos para constituir um advogado, vai apelar para a Defensoria Pública do Estado para buscar ajuda. “Agora na sexta-feira (16) ele faria aniversário. A gente não dorme, não vive direito com o que aconteceu , e pior ainda estamos sem que ele tenha um sepultamento digno de um ser humano”, desabafou. (leia mais abaixo)

O APELO DE ROBERTA VIANNA, PARENTE DE LUAN

“Vou explicar aqui um assunto que foi do conhecimento de todos, sobre a morte do meu primo e da maneira que foi morto. Nós da família estamos há cinco meses esperando pelo resultado do exame de DNA do Luan para poder enterrar o corpo pois sem este exame não podemos fazer o enterro. Todos os dias desde que tudo aconteceu estamos em contato com a delegacia, o IML e com todos que temos acesso, tentando uma resposta e simplesmente, nada. Hoje, após muitas tentativas, tivemos a resposta de que a matéria do Luan não foi enviado para análise, ainda se encontra no IML de Pádua porque mandaram do Luan para ser analisado. Aí vieram nos dizer que vão enviar o e-mail e tentar somente agora mandar o material. Gente, são cinco meses. Nesta sexta-feira é aniversário dele e nem enterrar o corpo conseguimos. Pior é ligar e eles falarem que está no prazo, sendo que nem enviado foi. Pelo amor de deus. Tem pessoas querendo respostas. Estou postando esse texto para ser se chega a pessoas que possam compartilhar e levar a conhecimento de alguém que possa ajudar” 

Fonte: Campos 24 Horas


Nenhum comentário