Italva volta a restringir abertura de comércio em novo decreto

A partir da próxima segunda-feira (25), o município de Italva voltará a restringir o funcionamento de alguns estabelecimentos comerciais. O novo decreto foi divulgado pela Prefeitura nessa sexta-feira (22) para manter as ações do combate ao coronavírus, que no município já matou uma pessoa e deixou 23 pessoas infectadas, além de outras três com sintomas suspeitos. O assunto chegou a ser divulgado pelo jornalista Nino Bellieny.
O novo decreto suspende por 15 dias o atendimento presencial ao público nos estabelecimentos, inclusive em bares, restaurantes e similares. Somente serão permitidos os serviços de entrega (delivery).
A suspensão não se aplica aos serviços considerados essenciais, como farmácias, mercados, açougues, padarias, peixarias, depósitos de gás e água mineral, postos de combustíveis, bancas de jornais, comércio de produtos de higiene, limpeza, alimentos e de saúde, além de funerárias, que devem funcionar das 7h às 17h. O decreto estabelece que esses estabelecimentos deverão intensificar as ações de limpeza e higienização, disponibilizar álcool em gel aos clientes e evitar aglomerações em seu interior. Não será permitida a permanência de clientes em padarias para consumo no local.
Ainda de acordo com o decreto, as agências bancárias e casas lotéricas só poderão funcionar de 9h às 14h. Oficinas mecânicas, borracharias, farmácia veterinária e comércios de ração também poderão funcionar dentro do horário previsto, mas sem clientes no interior das lojas.
Salões de beleza e barbearias não poderão abrir. Também estão suspensos a abertura de clubes e realização de festas e eventos. Assim como está proibida a aglomeração de pessoas em qualquer ato. As atividades esportivas em praças, ruas, quadras e campos, bem como a montagem e utilização de brinquedos, também estão proibidas.
A nova norma estabelece, também, que as repartições públicas passarão a funcionar das 7h às 13h.
O novo decreto também interfere no transporte de passageiros. Os táxis, por exemplo, não poderão ficar em seus pontos, devendo atender seus clientes por telefone e outros meios de comunicação e não poderão apanhar passageiros em outro município.

Nenhum comentário