Casal Cardosense suspeita de troca de bebê em Maternidade

http://www.jornalatribuna.com.br/wp-content/uploads/2016/07/trocaBEBE.jpg
A 1ª Vara de Família da Comarca de Campos dos Goytacazes-RJ, autorizou a exumação do corpo de um bebê falecido em 03 de dezembro de 2017, para exames de DNA, já que os pais suspeitam que filha tenha sido trocada na maternidade*, uma das mais tradicionais da cidade.
 As dúvidas da família só aumentam desde o óbito, principalmente depois do acesso aos comprovantes oficiais, constatando a existência de dois números de prontuários diferentes para a mesma recém-nascida, ato proibido pelo Código de Ética Médica.
 Segundo Michele Teles de Azevedo e Ted Pereira Marques de Souza, a recém-nascida fora encaminhada à UtiNeonatal, acompanhada de um pediatra e duas técnicas de enfermagem, com quadro de desconforto respiratório. Entretanto, foi declarado óbito causado por um quadro infeccioso e inatividade cerebral.
 A família fala da dificuldade de acesso ao quadro clínico da filha e de um pedido de  transferência para outra unidade hospitalar: "Quando nossa filha seria transferida para um hospital particular, recebemos uma ligação de um número restrito, informando que Lorenna havia morrido", lamenta a mãe.
 E Michele continua "O pior é a angustia no peito, já faz mais de um ano que não durmo direito, não sei se enterrei minha filha. Se eu estiver certa, e coração de mãe não se engana, minha filha está viva."
 O corpo está sepultado no cemitério de Cardoso Moreira, cidade onde os pais do bebê moram.
* Por enquanto, o processo ainda em segredo judicial, portanto o nome da maternidade não será divulgado.

Fonte: Blog Nino Bellieny

Nenhum comentário