Carapebus confirma participação na B1 e deve jogar em Cardoso Moreira

Mesmo após o fim da parceria com o Campos Atlético, o Carapebus confirmou que irá entrar em campo na Série B1 do Campeonato Carioca de 2017. O martelo foi batido nesta semana e o clube do Norte Fluminense estará na competição e jogando com seu nome de origem. Depois de mais de dois anos ao lado do Roxinho, o Carapebus seguirá seu caminho e deverá mandar seus jogos no Estádio Antônio Ferreira de Medeiros, em Cardoso Moreira.
O presidente do Carapebus, Victor Mothé, disse à “Rádio Absoluta” que a ideia é manter uma identidade com a região de Campos. O mandatário afirmou que uma reunião com o governo cardosense deu o sinal verde para que o time jogue no Ferreirão. Ainda segundo Mothé, a cidade de São João da Barra é uma segunda opção:
– Nos reunimos com o Renato Jacinto (vice-prefeito), a quem passei nossa situação. E ele nos abraçou, me disse que posso me sentir em casa. Minha primeira opção de mando de campo é lá, a segunda é São João da Barra. Vou mandar essa situação à Federação, que vai avaliar tudo. Estivemos também no Clube Municipal, que tem bom gramado, boa estrutura. Falta assinar, mas deve ser lá a casa onde iremos treinar no futebol profissional.
Redução na taxa de filiação decretou fim de parceria
Mothé explicou que o fim da fusão entre o Carapebus e o Campos aconteceu por conta de uma facilidade promovida pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FFERJ), que diminuiu drasticamente a taxa de filiação para clubes que já fazem parte de ligas municipais. Com essa possibilidade acerta, o presidente do Roxinho, Márcio Reinaldo, optou por encerrar a parceria e fazer o Campos seguir seu próprio caminho.
– Surgiu uma oportunidade na Federação, que reuniu os presidentes de ligas e deu a chance aos times se filiarem por R$ 25 mil, com parcelas de R$ 500. Quando tentamos colocar o Roxinho para jogar, era R$ 500 mil. Foi por isso que aconteceu a fusão. Por um lado, ficamos tristes porque a parceria era boa e a gente sempre amou o Roxinho, eu mesmo estou lá desde 2009. De outra forma, ficamos contentes em ver o Campos filiado, é uma entidade centenária. O Carapebus vai jogar a Série B1. Os jogadores pediram para não deixarmos o barco afundar, a gente não pode deixar de fazer um trabalho que gosta e ama, mesmo com todas as dificuldades – disse Victor.
Apesar de voltar a jogar com o nome de Carapebus, o presidente pretende mudar novamente o nome do clube, mas provavelmente sem parcerias com outros times. A ideia é fazer isso já para depois da Série B1, onde o time terá material humano formado em Campos:
– Quero deixar claro que o Carapebus vai jogar e com esse nome. Posso adiantar que esse nome será mudado no próximo ano por algo relativo à nossa cidade, que é de onde nós viemos. E vamos dar oportunidade aos jogadores da região. O elenco será apresentado no dia 10 e todos vão ter uma grata surpresa. A maioria será de Campos e de cidades vizinhas. O Carapebus será o clube da oportunidade.
Fundado em 2006, o Carapebus jogou a terceira divisão do Carioca, para onde voltou em 2011, conseguindo um acesso à Série B. Com dificuldades financeiras, o time não pôde entrar em campo na Segundona e foi rebaixado de volta, ficando licenciado até a parceria com o Campos, no fim de 2014, que possibilitou o Roxinho a conquistar dois acessos seguidos, culminando com a chegada à Série A, onde o clube disputou a seletiva, sem conseguir a classificação e caindo de volta para a segunda divisão.A estreia do Carapebus na Série B1 é contra o Serra Macaense, em 13 de maio.
Com informações FutRIo

Nenhum comentário