Prefeitura de Itaperuna e Governo do Rio somam forças para enfrentar problemas ocasionados pelas chuvas

foto03

Atentos aos problemas ocasionados pelas chuvas nos últimos dias em Itaperuna, RJ, a Prefeitura Municipal e o Governo do Estado do Rio de Janeiro somam forças para realizar intervenções pontuais, bem como para traçar estratégias de caráter preventivo. No sábado (14/12), o prefeito Alfredo Paulo Marques Rodrigues, o Alfredão (PP), reuniu-se com o secretário de Estado de Agricultura, Christino Áureo (PSD); e com a diretora-presidente da EMATER, Stella Alves Branco Romanos.

Durante a reunião, o prefeito Alfredão abordou a necessidade de recuperar as estradas vicinais e as pontes que ficaram bastante prejudicadas, em diversificados pontos do município. “Precisamos atender às necessidades dos produtores rurais em caráter de urgência e contamos com a ajuda do Governo Estadual”, reforça Alfredão. O prefeito ainda citou alguns pontos críticos, dentre eles, Águas Claras, Raposo, Alto Limoeiro, Pau Ferro, Boa União, Cubatão, Itajara, Aré e Floresta de Belém.

De acordo com o secretário Christino Áureo, os equipamentos e funcionários do programa “Estradas da Produção” estão à disposição do município e demais cidades da região Noroeste Fluminense. “O Governo do Estado vai manter e reforçar o maquinário nesses pontos críticos. As equipes já estão orientadas para atuar na zona rural de Itaperuna. Nós achamos que medidas preventivas são importantes e o Governo vai disponibilizar os equipamentos necessários para trabalharmos nesse sentido”, diz o secretário.

Já a diretora-presidente da EMATER, Stella, solicitou ao município que providencie relatório completo, incluindo imagens, sobre os locais mais afetados na zona rural. “A gente consegue tirar proveito de experiências ruins. O diagnóstico feito na região Serrana, naquela tragédia que todos conhecem, foi de suma importância para conseguirmos recursos para aquela região. É importante tirar fotos e fazer um mapeamento completo dessas áreas”, ressalta.

O secretário Municipal de Agricultura, Luiz Alberto Azevedo, informou que o prefeito Alfredão solicitou prioridade no atendimento às áreas mais atingidas pelas chuvas. “Nós já fizemos um primeiro levantamento e identificamos locais na zona rural que precisam de nossa máxima atenção. O prefeito Alfredão pediu prioridade nessas áreas e nós, a partir de segunda-feira (16), estaremos trabalhando junto a essas localidades”, afirma Luiz Alberto.

Também participaram da reunião os vereadores Alaiton Pontes de Souza, o Lalá (PSDB) e Luiz Roberto da Silva, o Cabecinha (PT); além de representantes da Defesa Civil; secretários e representantes do município, Celso Nunes de Oliveira (secretário de Gabinete); Sérgio Almeida (secretário de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Turismo); Marcelo Poeys (secretário de Receita); Murilo Gouveia (secretário de Governo); Paulo Roberto (diretor de Cultura); Nivaldo Godoi (diretor de Esportes); Ereci Rosa (subprocurador); demais autoridades e convidados.

Obras de construção dos canais extravasores

As obras de construção dos canais extravasores também foram lembradas pelo prefeito Alfredão. O prefeito questionou o secretário Christino Áureo sobre a questão e foi informado que ainda existem questões técnicas e burocráticas que precisam ser solucionadas, bem como algumas regras ambientais que necessitam ser observadas.

O Governo do Estado, com apoio do Ministério da Integração Nacional, vai investir em obras estratégicas contra inundações nas regiões Norte e Noroeste Fluminense. Segundo informações do portal do Governo Estadual, o projeto faz parte de um pacote de oito projetos de combate a enchentes apresentados pela Secretaria de Estado do Ambiente e pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) ao Ministério da Integração Nacional.

Este empreendimento visa à proteção de quatro cidades cortadas pelo Rio Muriaé – Laje do Muriaé, Itaperuna, Italva e Cardoso Moreira – a partir da construção de três canais extravasores e de uma barragem para controle de cheias, totalizando investimentos de cerca de R$ 350 milhões.

Os extravasores serão construídos a um custo aproximado de R$ 40 milhões, cada: um em Laje do Muriaé; outro em Itaperuna; e um terceiro em Italva. A finalidade é desviar, em momentos de fortes chuvas, as águas excedentes do Rio Muriaé, que corta essas cidades, para fora dos seus limites urbanos. As águas excedentes irão ser desviadas para um canal, retornando para o leito do rio em trecho após as cidades.

Assim que as verbas forem liberadas pelo Governo Federal, a Secretaria do Ambiente irá construir o extravasor de Laje de Muriaé, que já conta com um projeto básico pronto, orçado em R$ 40 milhões. Já no município de Cardoso Moreira, será construída uma barragem de controle de cheias ao custo de R$ 200 milhões, solução mais adequada devido às dificuldades geológicas da área. A finalidade é reter as águas em tempos de cheia, e só liberá-las aos poucos, em pequeno volume, de volta ao leito do rio.

Informação e Fotos: Agência Comuniqque

Nenhum comentário