Empresa Cardosense que teve R$ 1,2 milhão bloqueado, emite nota de esclarecimento


A empresa Cardosense Sogamax que esta sendo investigada pelo Ministério Publico do estado do Rio de Janeiro e pela Procuradoria-Geral do Estado do Rio de Janeiro , por meio da especializada da Dívida Ativa, conseguiu o bloqueio de mais de R$ 1,2 milhão da Sogamax, empresa investigada por sobrepreço na venda de insumos hospitalares para Secretaria de Estado de Saúde (SES), durante a pandemia da covid-19. A ação aconteceu nesta terça-feira.

O levantamento foi elaborado pelo Núcleo de Ações Estratégicas Fiscais (NAFE), através do cruzamento de informações sobre empresas inscritas em Dívida Ativa e a listagem das contratadas pela SES. Enquanto a empresa tinha créditos de, aproximadamente, R$ 30 milhões a serem recebidos do Estado e de cinco municípios, os débitos de ICMS junto ao Estado, além de inscritos em dívida ativa, já estavam em fase de execução fiscal.

Em atuação conjunta com a Coordenadoria Geral das Procuradorias Regionais da PGE-RJ, a decisão judicial determinou que os cinco municípios: Petrópolis, São Gonçalo, Magé, Quissamã e Tanguá, que haviam contratado a mesma empresa, depositem em juízo 30% dos valores destinados a pagamentos em benefício da executada.

na Tarde desta quarta-feira (01/07) a empresa Sogamax divulgou uma nota de esclarecimento

Leia abaixo

Nenhum comentário