Italvense faz parte da Seleção Brasileira de judô para deficientes visuais


A Seleção Brasileira de judô para deficientes visuais participará do Campeonato das Américas, de 20 a 23 de maio, em Calgary, no Canadá. Ao todo, 13 judocas representarão o país no evento. Entre esses atletas, está Maria Nubea dos Santos (classe B2, categoria até 57kg), do Instituto Reação, fundado pelo medalhista olímpico e embaixador paralímpico, Flávio Canto.

Desde que começou no paradesporto, Maria treina no Instituto Reação, e é a primeira atleta da entidade a ser convocada para a Seleção Brasileira em competições internacionais. O Reação foi criado em 2003 e tem relevante papel social em comunidades carentes do Rio de Janeiro. Revelou, por exemplo, Rafaela Silva, medalhista de ouro no judô nos Jogos Olímpicos do Rio 2016.

"Para o Instituto é um privilégio tê-la conosco, e queremos ajudá-la a alcançar seus objetivos. Sempre tivemos dificuldade de encontrar atletas com deficiência visual, e a Maria Nubea começou muito determinada, sempre buscou treino", celebrou Flávio Canto.

Natural de Italva, Rio de Janeiro, Maria começou a praticar a modalidade há três anos e chamou a atenção dos técnicos da seleção durante a etapa do Grand Prix Internacional Infraero, em 2017, e logo ganhou uma oportunidade entre os convocados para uma das fases de treinamento. Recém-chegada à equipe nacional, a atleta tem no currículo uma medalha de ouro no German Open 2018, bronze no Campeonato das Américas 2017, e quinto lugar na Copa do Mundo também do ano passado.

"Entrei no judô com essa intenção (de integrar a seleção). Estudei, treinei muito e aqui estou representando meu país. Treino de segunda a sexta-feira, cerca de quatro horas por dia em conjunto com a seleção, o Instituto e o meu preparador físico para chegar nas competições com a performance ideal", declarou a judoca de 28 anos, que tem baixa visão devido a uma toxoplasmose congênita.

No Campeonato das Américas, o Brasil será representado em todas as categorias, exceto no meio-leve masculino (até 66kg). A única divisão com mais de um atleta será o peso-pesado feminino, que contará com a medalhista de bronze na Copa do Mundo, na Turquia, Rebeca Souza, e Meg Emmerich, que depois de ótimos resultados em eventos nacionais, incluindo o ouro no Grand Prix Internacional Infraero deste ano, irá disputar sua primeira competição fora do Brasil.

Flávio Canto é integrante do Projeto Embaixador Paralímpico, que tem a intenção de aumentar a visibilidade do Movimento Paralímpico no país. Os embaixadores vêm das mais diversas áreas de atividade. Além dele, o programa conta com Rodrigo Minotauro, ex-lutador de MMA, os apresentadores Rodrigo Hilbert e Fernanda Lima, os pilotos Ayrton Senna (in memorian) e Emerson Fittipaldi, os atores Cléo Pires e Paulo Vilhena, os atletas Gustavo Kuerten e Ronaldinho Gaúcho, o senador Romário e os empresários Luis Severiano Ribeiro, Nizan Guanaes e José Victor Oliva.

Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)

Nenhum comentário