Rio Rural terá novas unidades de pesquisa participativa em Italva

A equipe multidisciplinar responsável pelos projetos de modificação de paisagem e de manejo integrado de pastagens - formada por técnicos da Pesagro-Rio, Emater-Rio, pesquisadores do Projeto Intecral e produtores de leite do município - definiu as ações de trabalho para 2015 nas microbacias trabalhadas pelo Programa Rio Rural, da secretaria estadual de Agricultura.

Novas unidades de pesquisa participativas (UPPs) serão implantadas, em Italva, todas com foco em sistemas silvipastoris e na adoção de boas práticas na bovinocultura leiteira. Paralelamente, terão prosseguimento os incentivos previstos no Rio Rural Emergencial para enfrentamento da estiagem e a execução do Projeto Intecral, uma parceria entre os governos fluminense e alemão, cujo objetivo principal é o fortalecimento da agricultura familiar através de transferência de tecnologias.

Em reunião na última semana, no Centro de Treinamento da Emater-Rio, os técnicos executores do Rio Rural realizaram um nivelamento, explicitando as ações já desenvolvidas no âmbito do programa. No município, já foram realizadas oficinas, dias de campo, levantamento participativo nas propriedades, além da instalação de duas UPPs nas microbacias Valão Carqueja e Córrego do Marimbondo.

No encontro, foram sorteadas mais duas UPPs de sistemas silvipastoris e quatro UPPs de cana forrageira, que serão monitoradas com o apoio dos agricultores. A Pesagro-Rio irá ministrar cursos de inseminação artificial, fornecendo também o botijão e os paletes de sêmen, além do acompanhamento técnico relacionado ao calendário de vacinação. Em contrapartida, o grupo de participantes se comprometeu em descartar qualquer animal que porventura apresente resultado positivo para brucelose e/ou tuberculose.

- Nossos maiores consumidores de leite são crianças e idosos. Como produzir leite é coisa muito séria, temos que ter muita responsabilidade, pois é o nosso compromisso com a sociedade - disse Almerindo Correa da Silva, membro do Cogem da microbacia Valão Carqueja.

Já o técnico da Emater-Rio e executor da microbacia Valão da Prata, Wagner Nunes do Nascimento, destaca que o projeto terá como objetivo primordial a melhoria da qualidade genética, a sanidade animal, o conforto térmico do rebanho e também uma consequente mudança de paisagem nas microbacias do município.

- Esse projeto reafirma a importância da parceria entre pesquisa e extensão, pois, trabalhando juntos, a abrangência de benefícios à agricultura familiar se torna mais eficiente. Quem sai ganhando é o produtor rural - afirmou Carlos Marconi de Souza Resende, supervisor local da Emater-Rio.

Fonte: Governo do Rio de Janeiro 

Nenhum comentário