Raio mata 44 bois em área rural de Campos

http://www.fmanha.com.br/arquivos/2015/01/a593ca0d5cff9c3237b6f3bd8be6fa2d_390x293.jpg
Após serem atingidas por uma descarga elétrica de um raio, 44 cabeças de gado morreram na madrugada de quarta-feira, numa fazenda localizada em Serrinha, zona rural de Campos.

 De acordo com o proprietário do imóvel e pecuarista, Luiz Carlos Bahiense, 62 anos, funcionários teriam visto o fenômeno que atingiu primeiramente uma rede elétrica, e depois os animais. Na noite de ontem, um veterinário da Fundação Norte Fluminense de Desenvolvimento Regional (Fundenor) estaria a caminho da fazenda, para fazer o laudo da morte do gado. Em  seguida, os animais seriam enterrados, já que a carne é imprópria para o consumo. 

Até o final desta edição, o proprietário ainda não tinha estimado o valor do prejuízo. A secretaria municipal de Agricultura informou que estaria à disposição do pecuarista. Na primeira quinzena deste mês, a concessionária de energia Ampla divulgou nota, relatando que nos seis primeiros dias do ano, foram registrados um total de 3.939 raios em toda a área de concessão da empresa.

De acordo com o pecuarista Luiz Carlos, nunca soube de um caso parecido ou igual a este na região, e que não teria acreditado quando soube do ocorrido. Segundo ele, o gado estaria num pasto e não se poderia prever o acidente.

— Na noite de terça-feira ocorreram muitos raios e trovoadas em Serrinha, chegando até a chover forte entre a noite e madrugada de quarta-feira. O gado estaria próximo de uma rede elétrica, quando o acidente ocorreu. Neste dia, estava em Campos e na propriedade havia alguns funcionários. Durante toda a quarta e ontem, estive agindo com a secretaria de Agricultura para que fosse realizado o laudo da morte dos animais. Foi um fenômeno da natureza que me trouxe muito prejuízo. Espero que isso não volte a ocorrer — destacou o produtor.

A reportagem da Folha da Manhã entrou em contato com o secretário de Agricultura, Eduardo Crespo, que informou ter sido procurado pela Associação dos Produtores Rurais do Sul pedindo apoio para o proprietário. “A única ajuda que podemos ofertar é enviando um profissional ao local, para fazer o laudo da morte dos animais, antes que os mesmos entrem em decomposição”, disse Eduardo Crespo. A ajuda deve ser pedida na secretaria.

Incidência de raios é maior este ano

Neste mês, o Sistema de Monitoramento de Descargas Atmosféricas da concessionária de energia Ampla registrou, nos seis primeiros dias do ano, um total de 3.939 raios em toda a área de concessão da companhia, que abrange 66 dos 92 municípios do estado do Rio de Janeiro.

O engenheiro Keison Thurler, responsável pela Área de Distribuição da empresa, disse que o número de raios foi recorde para o início do ano, registrando aumento de 681% em relação ao mesmo período do ano passado. “Foi praticamente oito vezes maior do que o registrado no início do ano passado. 

Foi, de fato, um aumento de descargas muito significativo”. Na primeira semana de janeiro de 2014, foram 504 descargas na área de concessão da distribuidora de energia elétrica.

A incidência de raios se intensifica na época do verão e pode acarretar instabilidade no fornecimento de energia elétrica e até causar mortes. Thurler lembrou o caso de quatro pessoas da mesma família que morreram no dia 29 de dezembro do ano passado, atingidas pela queda de um raio em Praia Grande, em São Paulo.

Fonte: Folha da Manha

Nenhum comentário