TRE confirma reeleição de Geraldo Pudim



 Os 70 deputados estaduais do Rio ainda nem foram diplomados e a composição da Alerj para os próximos quatro anos já foi alterada. Geraldo Pudim (PR) e Sonia Sthoffel (PRB) entraram nas vagas de Milton Rangel (PSD) e Graça Pereira (PRTB), devido à retotalização dos votos. A recontagem foi realizada devido ao deferimento, pelo Tribunal Superior Eleitoral e pelo Tribunal Regional Eleitoral - RJ, dos registros de diversos candidatos que haviam sido rejeitados. Assim, os votos, que não haviam sido computados, passam a valer como válidos, alterando os coeficientes partidário e eleitoral.

Geraldo Pudim teve 25.881 votos, menos que os 28.957 de Milton Rangel, que iria para seu primeiro mandato na Alerj. Graças a recontagem, o deputado do PR voltará para Alerj: em 2013, ele deixou a suplência para assumir mandato na casa. Já Sonia Sthoffel, que foi secretária municipal de Governo de Magé, teve 15.577 votos, pouco menos do que os quase 17 mil de Graça Pereira, que estava reeleita e era a única parlamentar do PRTB.
Sônia Sthoffel será a terceira parlamentar do PRB
Foto:  Divulgação
O sistema político brasileiro permite que um candidato com menos votos seja eleito. Isso ocorre porque as vagas são distribuídas de acordo com a votação recebida por cada partido ou coligação, por meio do cálculo dos quocientes eleitoral e partidário. O quociente eleitoral é o resultado do total de votos válidos (sem brancos e nulos) dividido por 70 (número de vagas da Alerj). O número de cadeiras de cada partido é definido pelo quociente partidário, que corresponde ao número de votos obtido pela legenda, dividido pelo quociente eleitoral.
Pudim e Sonia acabaram beneficiados por dois puxadores de votos em seus partidos. Nivaldo Mulim (PR), que teve 93.192 votos, e Tia Ju (PRB), com 74.803. Assim, o PR ultrapassa o PSD e passa a ter a segunda maior bancada da Alerj, com 8 deputados, e o PRB contará com 3 representantes.

Nenhum comentário